Especialista alertou sobre a doença que acomete 15% da população feminina em idade fértil

Palestra sobre endometriose

A endometriose, doença que afeta cerca de 15% da população feminina em idade fértil, foi o tema da palestra do ginecologista Claudio Crispi Júnior, realizada nesta segunda-feira (20/07), no Palácio Guanabara. Com foco na promoção da saúde da mulher, o encontro foi organizado pelo RioSolidario em parceria com o Instituto Crispi.  Durante a apresentação, as funcionárias conheceram mais sobre prevenção e tratamentos, e ainda tiveram a oportunidade de tirar dúvidas com o especialista.

A endometriose é caracterizada pela presença do endométrio – camada interna do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, em outros órgãos. Seu principal sintoma é a cólica forte e progressiva, e o tratamento mais comum é o uso de contraceptivos orais. Em casos mais graves, a cirurgia também pode ser indicada.

– É uma doença muito comum, mas ainda desconhecida. Em alguns países desenvolvidos, há campanhas permanentes para informar a população. No Brasil, culturalmente há a ideia de que a cólica é normal e a menina tem que sentir dor, o que não é verdade. Então, a informação é importante para que as pessoas procurem o atendimento médico, já que, muitas vezes, só com os sintomas e exame físico já é possível fazer o diagnóstico – explicou o ginecologista.

Para a primeira-dama e presidente do RioSolidario, Maria Lucia Horta Jardim, que participou do encontro, a informação é fundamental para ajudar a combater doenças.

– Tivemos uma aula de educação e saúde. A endometriose é um assunto sério que precisa ser discutido. É muito importante termos informação para cuidarmos melhor da nossa saúde – disse Maria Lucia.

Texto: Gabriela Murno

Fotos: Bruno Itan